Como garantir bons negócios imobiliários durante a pandemia

Gestor empresarial e CEO da EPAR Business Expert avalia impacto da crise nas pequenas e médias empresas e aponta alternativas para soluções de problemas

Devido a pandemia do Coronavírus, a maioria das empresas brasileiras está passando por grandes dificuldades, em um cenário nunca antes imaginado. São muitos problemas e desafios a serem enfrentados. Segundo o CEO da EPAR Business Experts, Eduardo Luiz, é importante estar aberto a novas ideias e possibilidades, pensar “fora da caixa”, desenvolver e adaptar produtos e serviços. Focar naquilo que pode ser o diferencial e no efetivo core business do negócio. “Nessas horas é importante responder como pode ser gerado uma melhor eficiência financeira, de processos e, principalmente, de pessoas”, avalia.

O Mercado imobiliário no Brasil atual:

De certa forma, o mercado imobiliário começava a retomar o crescimento e isso já era notório. Para Eduardo, o nosso mercado ainda “engatinha” quando o assunto é locação residencial. O Brasil tem cerca 17% das residências no regime locatício, enquanto mercados como Europa e EUA ultrapassam a casa dos 40%. “Isso, inclusive, é uma tendência (locação), pois em momentos principalmente como esses, a opção por locar e não comprar um imóvel dá a condição de acesso e isso é importante para aqueles que precisam de um imóvel”, destaca.

“Assim, aqueles que já possuem uma estrutura voltada para esse segmento devem fortalecê-la, já aqueles que ainda não “despertaram” deveriam fazê-lo rápido”, recomenda Eduardo. “Possuímos um estoque relativamente baixo residencial, comparado ao nosso déficit habitacional, mas isso deve ser conjugado com preços e condições que façam os consumidores terem esse acesso mais fácil”, comenta.

O movimento da própria Caixa Econômica Federal de fomentar esse setor é um sinal da importância e daquilo que representa; o setor da construção representa cerca de 7% do PIB brasileiro. “O mercado é maduro, está mais consciente, mas o que percebemos é que ainda existem empresas e empresários que acham que os modelos de seus negócios irão se perpetuar da forma e da maneira que se encontram, nesse sentido posso afirmar, isso não é mais uma verdade. Temos que nos preparar, sermos mais eficientes, estar mais ao lado dos clientes e, principalmente, termos como foco que o cliente nesse momento precisa de um ‘conselheiro confiável´. Muito se fala da digitalização do mercado, acredito que é um meio, mas não acredito que isso sozinho será caminho, temos que conjugar as estruturas e processos, pensando nesse novo “mundo” que nasce a partir dessa pandemia”.

Dicas para o setor:

Eduardo Luiz apresenta algumas dicas para as imobiliárias e inquilinos. Para as imobiliárias, ele recomenda que repensem as suas estruturas, seus custos e que possam focar efetivamente naquilo que é a razão das suas existências, ou seja, de gerar negócios, seja na captação, venda ou locação. “Muito tempo é partido com questões burocráticas e menores, isso faz com que exista uma dissipação de energia (tempo, dinheiro, preocupações) desnecessárias. O foco deve ser o cliente seja ele o dono de um imóvel, comprador ou locador. Elas serão cobradas para serem mais eficientes, menos custosas e mais ágeis”, alerta. “A EPAR, por exemplo, tem soluções estratégicas importantes tais como: Vistoriador.Com e E-Consult.

“Ter um plano de contingência, se antecipar junto a imóveis e contratos que poderão sofrer em função das suas características, principalmente os comerciais, levantando possíveis pontos alternativos a negociação, sejam eles de venda ou locação. Criar meios e comunicação eficiente e transparente, é importante estarem ao lado de todos e, se preciso for, renunciar a margem para que possam segurar contratos e garantir a longevidade do negócio”, completa Eduardo.

“Já aos inquilinos, deve imperar o bom senso, pois hoje “surfar” na onda ou simplesmente se aproveitar da situação (crise) pode significar estar fora do imóvel amanhã, por mais que isso se prolongue, uma hora isso acabará, colocando em xeque a sua futura permanência no imóvel locado”, avisa

Eduardo destaca que “também é importante colocar as dores e as necessidades, nada que uma boa conversa com a administradora, imobiliária ou proprietário não possa resolver. Ser honesto, transparente e, acima de tudo, justo, fará totalmente a diferença nesse momento. E isso pode amanhã ser levado em conta em futuras tratativas. Por pior que seja o impacto no seu negócio em função da crise, lembre-se toda a ajuda será bem-vinda”, finaliza.

Referência: negociosemfoco.com

Veja também

3 de agosto de 2020

SP: vendas de imóveis novos cresce em junho na capital

VER NOTÍCIA

22 de julho de 2020

Isolamento social antecipa mudanças no mercado imobiliário

VER NOTÍCIA

20 de julho de 2020

Isolamento social leva novas tendências para o mercado imobiliário

VER NOTÍCIA
×

Olá

Clique abaixo, em ATENDIMENTO, para conversarmos.

× Olá, em que posso ajudar?